28 julho 2017

"Marcenal"-Entrevistas com Escritores(Maratona de Entrevistas)

Olá amadinhos! Tudo bem com vocês? Espero que sim, vamos de maratona? Ainda tem muita entrevista boa para eu compartilhar com vocês...


Pâmella Marcenal,  30 anos. Uma balzaquiana (Balzaquiana é um adjetivo que qualifica a mulher de trinta anos de idade. A expressão “mulher balzaquiana” teve origem após a publicação do romance “A Mulher de Trinta Anos”, do escritor francês Honoré de Balzac.)com muito orgulho. reside no  Rio de Janeiro, casada. Mãe de dois filhos lindos, tem  um cachorro vira lata chamado Jake. Depois de quase abandonar a escrita por conta de uma depressão, está voltando aos poucos para está que é a sua grande história... Escrever é sua grande paixão, autora do livro Sob a Pele, lançado na Bienal de São Paulo, publicado inicialmente por uma editora, e hoje caminhando para voltar a ser comercializado,  sua outra obra  Pega mais não se apega- a história aqui será reescrita, aumentada e modificada posteriormente para comercialização, está sendo publicada na plataforma wattpad, mas logo permanecerá apenas para degustação(então sugiro quem corram para iniciar leitura). Juntou-se a plataforma wattpad em 26 de janeiro de 2014, é apesar de estar retornando agora, sua obra "Pega mais não se apega" já ultrapassou 80 mil leituras.
Perfil dela no wattpad:https://www.wattpad.com/user/PamellaMarcenal

Vamos conhecer mais um pouco da mente da escritora extraordinária, que deu a volta por cima depois de uma depressão? Sempre admirei mulheres fortes, sempre me inspiro nelas para ser cada dia uma pessoa melhor, é me orgulho tanto por ter a Pâmella como uma parceira do blog....


 -Qual foi a primeira coisa que escreveu? (pode nos dar uma amostra?)
R= Eu escrevo desde sempre, não sei nem dizer o que foi pioneiro, mas profissionalmente foi meu livro Sob a Pele.

-Qual sua relação com os livros, digo como leitora?
R= Eu sou colecionadora! Tenho mais de 500 títulos em casa. Sou apaixonada por livros físicos e estou me viciando nos digitais com a mesma intensidade.

-Qual seu gênero literário favorito?
R=Não tenho. Gosto de ler de tudo um pouco. Vou de fantasia a hot sem pena.

-Sua maior dificuldade como escritora(o)?
R=A divulgação. Ser lido num país que não incentiva a cultura literária é muito difícil.

-Sua família sabe que escreve? (Todo mundo quer saber essa parte ha ha)
R= Sim, sempre soube. porém, mesmo depois de publicada por uma editora, boa parte ainda me manda “trabalhar de verdade”

-Já pensou em desistir de escrever?
R=Sim, muitas vezes. Principalmente quando descobri uma tuberculose em nível avançado. abandonei tudo por dois anos. Mas não fui capaz de desistir e estou de volta.

-O que você acha que é preciso pra ser um bom escritor(a)?
R= Força de vontade. Se você tiver esse ingrediente, consegue correr atrás de todos os outros.

-Na sua opinião, qual a principal função do escritor(a)?
R= Acredito que como formadores de opinião, temos o dever de sermos responsáveis com que escrevemos. O escritor deve acrescentar algo, seja diversão, relaxamento ou mesmo ensinamentos.

-Qual foi o momento em sua vida que você disse "isso está muito bom! Quero que todos vejam"?
R= No meu caso não foi bem assim. Eu tinha muito medo. Quando eu publiquei na plataforma Nyah e Wattpad eu não tinha certeza de que era bom. Hoje eu tenho a confiança de que é.

-O que você sente enquanto escreve?
R= Eu sinto paz. Sinto que aquilo é exatamente o que eu deveria fazer para o resto da minha vida.

-O Que você acha de seus leitores?
R= Meus leitores acabaram virando em sua maior parte, meus amigos. Eles são incríveis, intensos. Sentiram meu livro e vários deles acabaram levando a mensagem para suas vidas pessoais. O que faz deles mais que leitores. Os torna anjos!

-O que você de hoje, diria a você de antes?
R= Eu com certeza diria para não deixar uma doença me parar. Com certeza diria a mim mesma para não deixar a depressão se sobrepor ao meu sonho.

-Se você pudesse ser um personagem do seu livro, qual seria?
R= Bem, o Sob a Pele, meu primeiro livro, é baseado em fatos reais. Então para mim é fácil responder a isso. Pois mesmo que com a parte ficcional, eu fui, sou e serei a Jullie para sempre.

-Você inspirou-se em alguém para escrever um de seus personagens? um possível amor talvez?
R= No Sob a Pele todos os personagens são baseados em pessoas reais. No Pega, mas não se apega, foi feito um experimento com as leitoras e as histórias delas viraram as histórias da Gabi. Então sim, sempre me baseei em pessoas reais para dar vida a personagens.

-O que e mais difícil escrever o primeiro capitulo ou o ultimo ?
R= Para mim, o último! Eu tenho um problema bem sério em me despedir dos meus personagens.

-De onde tirou inspiração para o titulo?
R= Para ambos o processo foi tão louco e demorado, que eu realmente já não sei mais. Mas posso garantir que eles retratam bem o conteúdo.

-Qual personagem do livro você gostaria de trazer a realidade?
R= Se eu pudesse traria o Phill do Sob a Pele e o Felipe de Pega,mas não se apega. Ambos são inspirados em um grande amigo que faleceu antes de poder acompanhar a minha carreira como escritora.

-Se o seu livro fosse adptado par as telonas do cinema, quais atores e atrizes gostaria que desse vida a seus personagens?
R= Eu acho que confio na Netflix para isso. haha ( Fica a dica )

-Qual sensação de publicar um livro?
R= A sensação de publicar em plataformas digitais e ver o retorno acontecer é incrível, poder ter o contato direto com as pessoas que te leem. Mas ser publicada por uma editora, ver seu livro físico nas mãos, participar de uma Bienal, para mim transcendeu a barreira da sensação de êxtase.

-Em qual editora você quer publicar o seu livro? Você já tem isso em mente?
R= Gostaria apenas que fosse uma editora séria, comprometida de forma verdadeira em apoiar o autor. e Não somente aquelas que usam seu sonho contra você.

-Vai dedicar /Ou dedicou seu livro a alguém?
R= Na primeira edição do Sob a Pele eu dediquei o livro a cada pessoa que me ajudou em qualquer fase até ele chegar onde chegou. Nesta segunda edição pretendo dedicar ao grande homem que inspirou o meu personagem principal. Meu marido Rogerio.

-O que você tem achado mais difícil desde que começou a postar seu livro?
R= Como já citei, a maior dificuldade é se divulgar de forma que não fiquei parecendo um SPAM, e consiga chamar atenção dos leitores. Convencer as pessoas a ler seu livro é um trabalho árduo.

-Qual a pior e melhor critica que seu livro recebeu?
R= Uma leitora certa vez me disse que ele era clichê! Ela disse em tom de crítica, mas eu adorei o fato de ter conseguido meu objetivo. rs

-Acha blogs literários importantes?Qual é a sua visão em relação a eles?
R= Os blogs hoje são definitivamente o maior portal de divulgação de novos autores. Sem nenhuma dúvida a ferramenta mais ativa e bacana que temos.

-Sua opinião sobre a rixa que dizem ter entre escritores e blogueiros?
R= Existe essa rixa? rs

-Como conheceu o blog "Amante dos Livros"?
R= Vagando por essa imensidão que é a internet me deparei com o blog e me identifiquei com a forma como as pessoas se expressavam por lá.

-Bom para mim e uma honra te-lo(a) aqui, e o que você espera dessa nossa parceria?
R= Espero que além de promovermos uma a outra de forma profissional, que consigamos tirar disso algo que nos torne pessoas melhores. Essa é a minha intenção em tudo que faço na vida.

-O mercado literário e um pouco dificil, vários gostos e opiniões, desejos diferentes. E um ponto que atualmente e muito debatido e sobre a representatividade. Qual a sua opinião sobre a "representatividade"?
Acredito que a representatividade deva ser feita de forma natural, nunca forçada. Devemos estar atentos a ser sempre seres humanos melhores respeitando cada tipo de pessoas que cruza nossas vidas, livros e histórias.

-Uma mensagem para os leitores/escritores que estão cada dia entrando nesse meio, e deseja ter seu livro publicado, qual seu conselho a eles?
R= Por diversas vezes nós achamos que não chegaremos a lugar nenhum, e pensamos em como esta trilha é estressante e traiçoeira. Muito trabalho, dedicação e carinho pelo que se faz. E muita perseverança, para saber esperar as etapas que o caminho apresenta. Não acontece de uma hora para outra. Nossa história é construída de comentário em comentário, lentamente. Mas isso não significa que um dia a sua hora não vá chegar. Nunca desista.

3 comentários:

  1. Nay, muito obrigada pelo apoio e parceria! É muito gratificante ver que algumas pessoas realmente se doam ao que fazem. ☺ Siga sempre sendo essa pessoa dedicada que vc é!

    ResponderExcluir
  2. Olá.

    Sempre que vejo uma entrevista da minha esposa fico emocionado com a incrível história da sua vida e de seus livros.

    Ela é uma pessoa incrível e os livros permitiram o mundo conhecer ela no seu íntimo.

    Além do orgulho a honra de ser dedicado e imortalizado junto dela na suas obras.

    E ao blog meus parabéns pela excelente e dinâmica entrevista.

    Amo e admiro a escritora, sua obra e história

    ResponderExcluir
  3. Olá.

    Sempre que vejo uma entrevista da minha esposa fico emocionado com a incrível história da sua vida e de seus livros.

    Ela é uma pessoa incrível e os livros permitiram o mundo conhecer ela no seu íntimo.

    Além do orgulho a honra de ser dedicado e imortalizado junto dela na suas obras.

    E ao blog meus parabéns pela excelente e dinâmica entrevista.

    Amo e admiro a escritora, sua obra e história

    ResponderExcluir