05 agosto 2017

"Dominic Ferraz "-Entrevista com personagens(Parte 1)

Olá amadinhos! Tudo bem com vocês? Espero que sim. Gente estou muito, mas muito animada, eu estou criando um novo "quadro" aqui no blog, "Entrevista com Personagens". Ok, como assim? A entrevista consiste em perguntas relacionadas a personalidade do personagem  e curiosidades pessoais minhas. Obviamente essa entrevista será feita com os livros que li. Espero muito, muito mesmo que vocês se divirtam, a entrevista e totalmente leve e descontraída.

O objetivo principal dela é que alem de ser mais uma forma de está divulgando novos livros, dando uma força para o escritor, é uma forma de trazer conteúdo novo para vocês, trazer inovação para o blog. Agora vamos deixar de enrolação pois o primeiro entrevistado é um personagem arrebatador.

Dados do Entrevistado:

Dominic Ferraz Bouvier, 31 anos, Reside: Ele é nascido e criado no Rio de Janeiro,  é  advogado e sócio de bar, que administra com seu amigo Leonardo, noivo da Rebeca(que breve estará sendo entrevistada) Seu livro de origem é  "Um café e você, para viagem", da escritora R.Ras. Esse livro é um romance hot, que encontra-se disponível na plataforma wattpad.  Tipo sanguineo:A+(sim a gente precisa saber essas coisas do personagem rs) Filho único do casal Heitor Ferraz e Nikita Bouvier. 
Obs:Foto ao lado é  do Avatar do personagem. 

Link do seu livro de origem:https://www.wattpad.com/story/104998738-um-caf%C3%A9-e-voc%C3%AA-para-viagem


  Primeiramente seja muito bem vindo, agradeço a oportunidade dessa exclusiva com você sei que sua agenda e muito cheia e arranjar um espaço nela para mim faz sentir-me honrada. Quero acrescentar que sou fã do seu trabalho e  sua historia de vida é linda.


-Dominic, bom sabemos que você tem uma personalidade forte, você é extourado (sim extourado com x, porque seu nível e tão intenso que não cabe com s rs), e nervoso. Como você conciliar esse seu lado com a profissão de advogado?
R: Olá. Primeiro quero dizer que é um grande prazer estar aqui dando essa entrevista para o Blog.
Não tenho nenhuma dificuldade, na verdade sempre fui muito calmo, mas desde que conheci a Rebeca, bem, digamos que meus nervos estão sempre a flor da pele quando se trada dela.

- O que realmente te levou a fazer a proposta a Rebeca? Apenas atração ou você sentiu algo a mais?
R: A princípio foi pura atração foi bem rápido, ela estava correndo dentro do café atendendo e o cabelo azul me chamou atenção. Quando parei para realmente olhar para ela vi o quão linda era e pensei em dar em cima dela, mas nunca imaginei que ela fosse mexer tanto comigo.

-Quais suas bandas favoritas?
R: Red hot chilli pepers, Guns, Biquini cavadão (Não é duplo sentido, eu juro), Charlie Brown Jr.

-Qual a característica que mais te atraiu na Rebeca? 
R: Sua personalidade forte e seu lado meigo, que ela mostra quando está atendendo os clientes do café e comigo. Claro que ela também é muito gostosa.

-Bom sua declaração a Rebeca foi muito surpreendente, não somente para ela, mas para mim também. O que se passou na sua cabeça quando descobriu o seus verdadeiros sentimentos por ela?
R:Foi foda. Nunca tinha sentido algo tão forte na minha vida e não sabia como lidar com aquilo. Acabei fazenda muito merda, justamente por não entender direito o que estava sentindo.

-Seu putão velho(apelido dado por mim, para identificar seu pai) é ligado muito a bens matérias, status. Como foi crescer com uma presença masculina desse jeito?
R:HA! Muito bom esse apelido, combina bem com o velho. Fui criado pela minha mãe e só visitava meu pai nos finais de semana, e mesmo assim eu mal o via por que estava sempre trabalhando. É complicado, mas sobrevivi e acredito ter me tornado um adulto aceitável, digamos assim.

-A estrupícia da Dakota(apelido também dado por mim) vive dando a entender que realmente gosta de você(não acredito muito nisso), como você se sente em relação a isso?
R:Nossa, você é muito foda para apelidos. Fiquei curioso com o apelido que você me daria.
A Dakota sempre foi mimada, filha única de pais ausentes, compensavam dando tudo o que ela queria. Eu nunca consegui vê-la como nada além de uma garotinha que aparecia na casa do meu pai para brincar quando eu estava lá com uma babá que dava tudo na mão dela. Era bem irritante na verdade, pois minha mãe sempre me ensinou a fazer as coisas sozinhos e que eu não poderia ter tudo na mão. Até hoje ela é isso para mim, uma garota mimada.

-Dominic, não sei se é do seu conhecimento, mas você recebeu o selo Homão da Porra, Destruidor de sanidade mental. Não somente pelo seu corpo(delicioso diga-se de passagem) mas por sua personalidade e caráter. Qual sua opinião sobre isso? 

R:Caralho! Homão da Porra! HA! Nem sei o que dizer, na verdade fico até um pouco encabulado com esse título. Não vou ser hipócrita e falar que não gostei, mas o que sou como pessoa devo a criação que minha mãe me deu, já o físico, bem, eu comecei a malhar e fazer lutas exatamente para chamar a atenção das mulheres, mas hoje eu faço para a Rebeca ter uma bela visão quando...

-Se pudesse ser um animal, qual seria? E porque?
R:Nossa eu nunca pensei nisso. Bem eu tenho dois cachorros e admiro como são leais e companheiros, então acho que seria um cachorro ou até mesmo um lobo.

-Você mudaria algo nessa sua trajetória até aqui?
R:Sem dúvida eu não teria feito toda aquela merda com a Rebeca. Foi a ideia mais imbecil que eu poderia ter tido na vida.

-O que o Dom de hoje diria para o Dom criança?
R:Garoto você vai encontrar a mulher mais incrível do mundo. Não a deixe escapar.

- Quando você fala sobre o seu bar e do Leo, sinto uma certa emoção. O que ele representa para você?
R:O Leu e eu nos tornamos amigos quando morei um tempo nos EUA durante minha pós e ele me ajudou muito. Acho que muitos não sabem, mas ele foi meu veterano na pós. Ele também é advogado, mas decidiu que essa vida não era para ele, então veio com a ideia de voltar comigo para o Brasil e abrir um bar. Ele sabia que eu só estava na advocacia por pressão do meu pai e assim que ele veio com o plano do bar eu agarrei com unhas e dentes.

-O que vem a cabeça, quando surge o nome Rebeca?
R: Se eu disser tudo o que penso o blog vai ser censurado, mas eu penso na sorte filha da mãe que eu tenho.

-Um conselho para os homens e mulheres sobre o amor e sonhos. 
R: Ele vem quando você menos espera e de várias maneiras estranhas, Rebeca e eu somos um exemplo perfeito disso.

-Uma música que te faça lembrar da Rebeca?
R: Tem uma bem específica que está na minha play list, Neighbors know may name do Trey Songz. Se ler a tradução vai entender. Uma dica, a Rebeca não é exatamente discreta quando estamos transando.

-Como é estar ao lado de uma das personagens(Rebeca) mais inspiradores, guerreiras e forte da nossa literatura?
R: Minha vontade era sair por ai correndo e gritando que ela é minha, mas seria muito estranho. Ela é uma mulher incrível, me inspira vê-la trabalhando, também me deixa excitado. Aquela mulher quando está sendo chefe é a coisa mais sexy que já vi na vida.

-Um recado para seus fãs
R:Eu tenho fãs? Beleza, então para os caras eu digo para darem valor as mulheres que vocês tem ao seu lado e não façam merda, satisfaçam elas na cama e fora dela. Para as mulheres, digam o que querem, não somos adivinhos e sigam seus sonhos, não mudem por ninguém além de por vocês mesmas.

Mais uma vez obrigada pela participação, adorei entrevista-lo, você sem sombras de dúvidas merece o selos que recebeu.

3 comentários:

  1. Olá, Nayara!Amei esse projeto de entrevistas com os personagens... Amei essa primeira... Realmente, dá mais visibilidade ao escritor, eu fiquei com vontade de ler o livro só de ler a entrevista!Já o adicionei na minha biblioteca! Parabéns pela iniciativa, e sucesso no seu blog!!
    Monique Cassemiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Espero ve-la mais vezes aqui, e boa leitura <3

      Excluir
  2. Ameiii!!!
    A entrevista❤

    Nay, você arrasa��❤
    Dominic, te quero��

    ResponderExcluir