27 fevereiro 2018

"Gênero"-Entre Papos e Letras

Olá amadinhos? Tudo bem com vocês? Desejo
que sim. Hoje estou trazendo dicas—juntamente com as colaborados oficiais do projeto Entre Papos e Letras,Maria Victoria Melo, Raquel Rasinhas, Maya F. e Nathali Lima, que juntamente com o blog criaram esse projeto, para saber mais Clicar aqui.







































Hoje o nosso tema é gênero, muitos escritores iniciantes tem a dificuldade de saber, qual gênero literário escolher, quais o critérios que deve usar na escolha desse tema e foi pensando nisso, que trouxemos essas dicas, então se você deseja iniciar carreira nesse meio, ou tem um amigo ou conhecido, essa postagem pode te ajudar.

Vamos lá, descobrir agora, com dicas de 3 maravilhosas escritoras. 


Raquel Rasinhas: Então, quero começar a escrever, mas não sei sobre o que. Qual tema? Qual gênero? O que está na moda? O que eu já li? O que eu nunca li? SOCORRO!!!
Sim, todas essas perguntas já passaram pela cabeça de quem está começando a escrever e é natural. Eu mesma demorei um pouco para me encontrar. Já escrevi suspense, romance baunilha (não tem nenhum cena erótica), sobrenatural, romance sobrenatural e erótico.
Para começar a escrever eu pensei “O que eu quero ler?”. Você não pode escrever sobre algo que você não goste, caso contrário o abandono do livro será inevitável. King já disse “escreva algo que você goste e conheça”. Você lê muitos livros de fantasia, é seu gênero favorito? Então escreva sobre isso. Gosta de romance erótico, consome muitos livros desse gênero? Escreva sobre isso.
“Mas como não ser apenas mais um livro no meio de tantos?”
Bom, vou contar a minha experiência.
Quando escrevi meu primeiro livro, um romance sobrenatural com lobisomens, eu o escrevi primeiro por ser meu gênero favorito e por não ver muitos livros de lobisomens que os abordem da mesma forma que os vampiros. Os vampiros são sempre sexys, elegantes, sedutores, ricos e super sociáveis. E os lobisomens? Sempre selvagens, sujos, anti sociais, bestas no sentido amplo da palavra. E não é exatamente assim. Com essa ideia fui na busca das lendas, origens, estudei o comportamento dos lobos, descobri novas lendas. Essas novas lendas se tornaram o tema central do meu livro e mostrei o outro lado dos lobisomens, o lado sexy, rico, elegantes, mas ainda mantendo aquele lado selvagem, afinal é uma característica marcante dos lobisomens.

Então, vamos lá.
—Escreva o que você gosta de ler, um gênero que te deixa confortável e te anima a escrever.
—Escreva sobre algo que você acha que está faltando nesse gênero. Lobisomens visto de uma forma diferente, fadas não tão fofas, ogros gentis e meigos, homens que não são CEO super ricos, etc.
—Fale sobre o que você sabe, não invente. Se não sabe, pesquise.

É isso galera, espero ter ajudado e qualquer coisa já sabem, é só deixar suas perguntas nos comentários que vamos responder com prazer ^^


Beijinho e até a próxima

Nota sobre Raquel: 
Raquel Rasinhas do Nascimento (Kel Ras), 31 anos
Cidade: Rio de Janeiro – RJ
Solteira e mãe de três gatos
Escreve romance sobrenatural e erótico
Escritora e autora no Wattpad e Amazon
Livros publicados: Inverno – A última Peeira; Um café e Você, para viagem; Contos da morte –
A lista do Anjo; A pura.
Colunista na revista literária Litere-se, publicitária e apaixonada por literatura.

🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇




Náthali lima: Tema. Tema. Tema. Tema.
Como escolher um tema?
Tema, tema, tema, tema, tema, tema, tema… 
Enquanto fico aqui, cantando essa palavra – repetidas vezes – na minha cabeça, como se ela fosse um mantra estranho de yoga, eu tento chegar numa maneira de dar alguma dica que preste sobre como escolher o seu tema. 
O que é bem estranho vindo de mim, se eu considerar o fato de que eu não escolho um tema. É ele que me escolhe. 
Deve soar bem esquisito, para você, ler esta última parte, mas é a verdade. 
Exceto pelo terror. 
Este é o único tema que eu não deixo me escolher e – muito menos – é o tema que eu escolho! Veja bem… enquanto meu pai é aquele que chama isso de “pequeno romance”, eu não consigo nem ouvir a palavra sem ter a certeza absoluta de que não vou dormir por no mínimo um mês. Imagine se eu escrevo sobre algo relacionado à esta palavra?! 
Bom… (risos) 
Com isso eu quero dizer para você escolher o seu tema de acordo com o que te deixar confortável ou o que te fizer fluir melhor. É certo que, em algum momento, você vai sentir vontade de sair da sua Zona de Conforto, e vai ser um grande desafio. 
O terror, para mim, não entra nem na área do desconforto (ele está definitivamente na área do banimento!). Talvez eu fosse capaz de fazer algo prestável em um terror – do jeito que eu sou assustada e apavorada com essas coisas – da mesma forma que eu poderia fazer disso tudo uma grande piada. Mas, aí, como eu iria dormir?! Só de pensar nisso eu já sinto as tremedeiras! 
Você vai se desafiar com os temas diferentes, mas antes de chegar nisso você vai precisar descobrir: Que tema me deixa confortável? Que tema faz a minha inspiração correr solta? Qual tema me força um bloqueio? 
E sabendo que você tem a possibilidade de colocar qualquer subtema na sua história – desde que ele não sobreponha o tema principal – saber as respostas para isso é essencial, pois pode ser a partir disso que você poderá desenvolver toda a trama da sua história. 
Eu não acredito que direi isso, mas… imagine-se como uma aranha. (Senhor, socorro! Me acode que aranhas são assustadoras, mas vamos em frente!) 
Pois bem. 
Imagine-se como uma aranha. 
A sua história é a sua teia, e os pontos/locais onde você vai prendê-la é o seu tema principal. Cada linha desta teia é a sua trama, com seus personagens, suas histórias, presentes e futuros. A forma como elas se conectam e se interligam são os subtemas – os que você escolher colocar – que incluem os núcleos, “mistérios”, ações, consequências e relacionamentos que se formam a partir de cada linha. Os insetos são a sua inspiração e o número de fatos que conhece e que você imagina sobre o assunto que escolheu para “saciar a sua fome” (e quantos mais tiver, melhor, né?) 
A partir disso, você deve saber que tem que escolher bem o lugar onde você vai construir a sua teia para que você não a perca, para que ela não caia e para que muitos insetos venham para você. 
E é isso. (risos) 
Essa – muito provavelmente – foi a pior analogia que eu já fiz em toda a minha curta vida, mas eu espero ter conseguido me fazer entender com ela, e com as outras coisas que eu falei antes. 
E vou dizer para vocês: Cantar a palavra “tema”, nunca deu tão certo (risos. Muitos risos). 
Um grande beijo e até a próxima  

Nota sobre Náthali Lima: tem vinte anos, é carioca e escreve desde os seus doze anos, iniciou no mundo das fanfics, postando algumas histórias curtas como originais e depois passou a se dedicar à algumas fanfics de universos literários famosos pelo mundo, encontrando dessa forma uma maneira de nunca se soltar de seus personagens preferidos. Hoje ela já escreve livros e tem publicados na plataforma do wattpad – e em breve na Amazon – somando ao todo cinco obras, escritas e postadas, na plataforma gratuita.

🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇🖇


Vicky Melo :Hey, pessoas que escrevem! Tudo bom? Sim? Ótimo! Não? Então, desejo que tudo melhore! Mas, agora, precisamos conversar sobre o tema de hoje, que é... Gêneros! 

"Gênero de quê, Vicky?" 

Claro que dos livros, colega! Essas dicas serão para você que ainda não sabe ou que carrega grandes dúvidas sobre qual categoria o seu livro melhor se encaixa. Porque, sim, não é uma etapa lá muito fácil, ainda mais para quem acaba fazendo uma salada de frutas literária, como eu! Hahaha. 

Então, darei algumas diquinhas que poderão servir como uma mão amiga para vocês, pois tem horas que até eu mesma fico confusa. Porém, não podemos desistir! Somos autores e, como tal, não será isso que nos tirará dos nossos caminhos dos imensos campos da literatura.

Como escolher o gênero correto para o meu livro? 

Pessoal, primeiro de tudo: vocês devem ter na cabeça de vocês qual será o foco da história. Foco? Sim, que será o que englobará todo o seu enredo. 

Exemplo: se o seu livro terá como foco feiticeiros, bruxos, vampiros, você deverá colocar na categoria "fantasia". 

"MAS VICKY, MEU LIVRO TEM TUDO ISSO E TAMBÉM ROMANCE! O QUE EU COLOCO?"

Pessoa, como eu disse, você deve saber o foco da história. Se vai focar mais nos bruxos e feiticeiros, então é fantasia. Se vai focar mais no amor entre essas criaturas, então é romance. Depois de escolher o gênero principal, você poderá também optar por uma subcategoria, pois eu mesma não escrevo uma história em cima de apenas 1 gênero! Em um único livro eu posso englobar até 5. Mas, é claro, tenha sempre moderação e sensatez ao realizar a sua mistureba literária! Hahaha. 

Exemplo: 

· Gênero - fantasia. 
· Subcategoria - romance/mistério/sobrenatural.

Seria bem interessante, não?

Então, a minha principal dica é: saiba qual será o foco do seu livro. Não coloque como sendo "humor" se a história irá correr em cima do drama! Assim como pôr como romance caso retrate apenas mortes, sangue, horror... O que seria melhor colocado como "terror".

Galera, abaixo vai estar o significado dos principais gêneros que existem:

· Aventura: caracterizado por jornadas, viagens, novas experiências.

· Romance: histórias de amor entre um casal, assim como também triângulos amorosos. O que realmente caracteriza esse gênero é: o amor. Ah, o amor! Colocar um obstáculo cá e outro lá durante o romance esquenta cada página. AMO. Esse gênero te concede escrever em várias épocas da história, pois o romance tem disso: sem fronteiras. Você pode optar por um clichê, original, fanfic, hot... Fica a sua escolha! 

Porém, lá vai uma dica especial: pesquise e saiba como funcionava as coisas na época que você irá escrever, caso contrário... Sua história pode se tornar muito perdida e sem sentido algum!

· Ação: caracterizado por possuir muita movimentação, agitação, lutas, correria. 

· Terror: esse gênero todo mundo sabe identificar, mas vale explicar! Marcado pelo medo, pavor, horror, histórias medonhas. Confesso, desse gênero, quase sempre, eu passo correndo! Hahaha.

· Drama: nada mais é que uma história onde o foco são os problemas, situações difíceis, desgraças.

· Comédia/humor: esse conhecemos muito bem, certo? É um gênero que leva diversão ao leitor, sátiras. É caracterizada por gargalhadas, sorrisos.

· Fantasia: imaginação. Esse eu amo e sou fã de carteirinha! A fantasia é criar imagens e fatos não reais. Criação de mundos. Nessa categoria você pode inventar qualquer coisa. Um novo mundo, pessoas, planetas, terras... Use e abuse!

· Fanfic: são histórias criadas por fãs com base em enredos já existentes, como um personagem, filme ou série preferidas. Esses autores fazem com que o ator, atriz, elenco, entrem em uma nova jornada criada por ele próprio!

· Ficção científica: desastres globais. Vírus. Contaminação. Fenômenos da natureza. Extraterrestres. Nesse vocês também podem abusar da imaginação!

· Ficção adolescente: envolve o mundo adolescente. Problemas, amor, fatos... Tudo do mundo jovem!

Então, é isso! Passei os mais básicos, diga-se de passagem serem os mais usados, pois diversos gêneros, por si só, fazem referência aos demais, como lobisomem, vampiro, espiritual, etc. No entanto, desculpe se deixei passar algum igualmente importante! Eu quis trazer um texto breve, mas útil. E espero que assim tenha sido para vocês! rsrs.

Ps: tirei partes da explicação do meu amigo, também conhecido como tio Aurélio! Hehehe.

Beijos, obrigada por ter chegado até aqui e eu espero que essas dicas possam te ajudar na hora de selecionar o gênero do seu livro! Abraço! Nos vemos em breve
Att, Vicky Melo 


Nota sobre Vicky Melo :Cidade natal é Campinas/SP, mas no momento está morando em São José/SC. Um fato sobre ela : muda muito de cidade, devido a profissão do seu pai. Tem 17 anos, mas dependendo da situação pode ter 5 ou mais de 20. Atualmente é estudante e aspirante a escritora na plataforma laranjinha, também chamada de wattpad rsrs. Escreve desde 2015. O foco da sua escrita é a fantasia - mesmo que sendo misturada com outras categorias. Porque fantasia? Porque ama tanto ler como escrever esse gênero. Ama criar mundos, colocar fatos inexistentes dentro de uma história, que muitos gostariam que se tornassem reais. Entre livros postados e rascunhos, já deve ter chegado a marca de 10 livros escritos.
O mais? É  leitora com muito orgulho, uma eterna amante de séries e uma apaixonada pelo que muitos dizem ter gosto de terra... Açaí! Hahaha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário